Nikoguru

Entenda sobre as serpentes venenosas

  • por em 21 de junho de 2021

Dentro do grupo dos répteis abriga a ordem dos répteis escamados, os Squamata, representado por lagartos e as serpentes. Nele estão contido muitos dos animais mais venenosos para o homem do nosso planeta.

Muitas serpentes são animais peçonhentas, capazes de produzir e inocular um veneno (peçonha), diferentemente de outros animais, como alguns sapos, que são venenosos, mas o veneno só é transferido quando o animal é abocanhado por um predador.

Como reconhecer uma cobra venenosa

As serpentes peçonhentas apresentam, em geral, características que as definem, embora essas não sejam universais entre essas serpentes:

  • Pupilas fendidas: As pupilas são a região onde ocorre a entrada da luz, que irá incidir sobre a retina. Em serpentes peçonhentas, essa pupila tem, geralmente, um formato vertical, uma adaptação aos hábitos noturnos de muitas desses animais. Diferentemente do formato circular da maioria das não peçonhentas.
  • Cabeça triangular: O formato da cabeça da maioria das serpentes peçonhentas é triangular, em oposição a um formato mais arredondado de animais não peçonhentos. As escamas variam quanto a aspereza entre as serpentes peçonhentas e não peçonhentas, geralmente as escamas de animais peçonhentos é áspera, enquanto do restante é lisa.
  • A cauda de serpentes peçonhentas se afina bruscamente, para as não peçonhentas o afinamento da cauda é gradual.
  • A fosseta loreal é uma estrutura presente apenas em algumas serpentes peçonhentas. Localizado na região da cabeça, essa estrutura consegue perceber a radiação (calor) emitida por animais homeotérmicos, favorecendo a localização de presas.

Efeitos causado pelo veneno

A peçonha das serpentes tem objetivo de imobilizar ou matar a presa, o que reduz o gasto energético desse predador durante a captura. A peçonha vai variar sua composição entre as diversas espécies de serpentes, essa diferença se reflete na variação de efeitos causados pela picada desses animais:

  • Proteolítico: Destrói proteínas e todas as estruturas (tecidos) que dependem dessas substâncias;
  • Hemolítico: Ataca as hemácias, células responsáveis pelo transporte do gás oxigênio com o auxílio da hemoglobina;
  • Neurotóxico: Afeta centros específicos do sistema nervoso central, como aqueles que controlam o ritmo cardíaco e respiratório, podendo causar paradas cardíacas ou respiratórias;
  • Hemorrágico: Ataca proteínas essenciais ao processo de coagulação sanguínea, por isso pode causar extravasamento de sangue, as hemorragias.

Tipos de presas das serpentes

O padrão de dentição indica sobre o hábito de vida e a forma de caça das serpentes. Serpentes áglifas, não apresentam um dente inoculador, então, apesar de apresentarem glândulas de veneno, não são capazes de inoculá-lo em sua presa, matam por constrição, enrolam-se e asfixiam a presa.

As serpentes opistóglifas apresentam um dente inoculador localizado no fundo da boca. O risco de envenenamento por ataques desses animais em humanos é baixo devido a posição posterior do dente inoculador.

Serpentes proteróglifas apresentam dente inoculador localizado anteriormente, no início da boca. Esse dente apresenta um sulco externo, por onde a peçonha escorre para entrar nos tecidos da presa.

As solenóglifas são serpentes que apresentam dente inoculador anterior, com grande mobilidade e um sulco interno, por onde escorre o veneno, que é transferido com muito mais rapidez para os tecidos da presa. Esses animais são os únicos que apresentam a fosseta loreal.

Serpentes mais perigosas do mundo

  • Taipan (Austrália). Possui um veneno hemotóxico potente que faz o sangue se liquefazer, inoculado por meio de duas presas fixas, na parte posterior da boca. A Taipan é capaz de matar um ser humano em menos de 45 minutos.
  • Cobra Marrom (Autrália). Seu veneno contém neurotoxinas e coagulantes do sangue que causam a morte de um homem adulto em poucas horas.
  • Cascavel (Américas). A cascavel é facilmente identificável pelo chocalho na ponta de sua cauda. Elas fazem parte da família da jararaca. A maioria das espécies de cascavel têm veneno hemotóxico, que destrói tecidos e órgãos. Caso a vítima não seja tratada, seu veneno é geralmente fatal. Mesmo com tratamento, sua mordida pode levar a perda de membros.
  • Cobra da Morte (Austrália). Se não tratada a vítima, seu veneno é fatal em seis horas. O veneno é uma neurotoxina, que provoca paralisia e pode causar a morte, devido à insuficiência respiratória.
  • Víbora de Russel (Índia, China e Sudeste Asiático). São muito rápida e agressivas, apesar do seu veneno não ser tão agressivo como as anteriores. Sua picada por gerar dor intensa até por quatro semanas. Seu veneno gera necrose e se não for tratada pode levar a morte por septicemia, insuficiência respiratória ou cardíaca em até 14 dias após a picada.
  • Krait Malasiana (Sudeste Asiático). Mesmo com o antídoto, 50% das mordidas dessa cobra são fatais. Seu veneno é uma neurotoxina, 16 vezes mais potente que o de uma Naja. A morte da vítima ocorre em até 12 horas após a picada.
  • Mamba Negra (África). É conhecida por sua agressividade e ataque de precisão mortal. Pode atacar a vítima em até 12 vezes seguida. Devido a isso, em determinados casos pode matar a vítima em 15 minutos.
Cascavel, a cobra venenosa mais perigosa encontrada nas Américas.

O que fazer caso seja picado

Os acidentes ofídicos, causados pela picada de cobras, geralmente ocorre nas pernas, abaixo dos joelhos. O socorro deve ser rápido, e o tratamento feito a base de soro produzido em laboratório, esse soro, é produzido por animais de grande porte e contém anticorpos específicos que se ligam às proteínas presentes na peçonha e as neutralizam, por isso, o conhecimento da serpente que efetuou o ataque auxilia na decisão por qual soro deve ser aplicado.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments