Nikoguru

Sujeito, um dos termos constituintes da oração

  • por em 19 de outubro de 2021

O sujeito é um dos elementos essenciais da oração e, normalmente, está localizado antes do predicado. Ele é o termo da oração a respeito do qual damos alguma informação. Seu núcleo (palavra mais importante) pode ser um substantivo, pronome ou palavra substantivada.

Para identificar o sujeito, é necessário verificar se ele pode ser substituído por um pronome pessoal do caso reto e se ele concorda com o verbo. Esse termo pode praticar ou sofrer a ação expressa na oração. Entretanto, existem também orações sem sujeito.

Ex.: O Jeca-Tatu de Monteiro Lobato fez tanto sucesso quanto (fizeram) os Fradinhos que Henfil lançou nas páginas do Pasquim.” (Revista Época, 24.05.99, p.06)

Sujeito da 1ª oração: O Jeca-Tatu de Monteiro Lobato
Núcleo do sujeito: Jeca-Tatu (substantivo)

Tipos de sujeito:

  • Simples
  • Composto
  • Oculto, elíptico ou desinencial
  • Indeterminado
  • Inexistente ou oração sem sujeito

Sujeito Simples

Aquele que possui apenas um núcleo.

Ex.: “Livros ganham as prateleiras dos supermercados.” ( Época, 24.05.99, p.124)
núcleo: livros

Sujeito Composto

Aquele que possui mais de um núcleo.

Ex.: Jogadores e torcedores reclamaram da arbitragem.
núcleos: jogadores, torcedores

Sujeito oculto, elíptico ou desinencial

Aquele que não vem expresso na oração, mas pode ser facilmente identificado pela desinência do verbo.

Ex.: “Aonde vou, o que quero da vida?” ( Estado de Minas, 02.07.00, p.21)
Apesar do sujeito não estar expresso, pode ser identificado nas duas orações: eu.

Sujeito indeterminado

Aquele que não se quer ou não se pode identificar.

Ex.: Vive-se melhor em uma cidade pequena.
Absolveram o réu.

Atenção

O sujeito pode ser indeterminado em duas situações:

  • verbo na terceira pessoa do plural sem sujeito expresso: Telefonaram por engano para minha casa.
  • verbo na terceira pessoa do singular acompanhado do pronome SE (índice de indeterminação do sujeito): Acredita-se na existência de políticos honestos.

Sujeito inexistente ou oração sem sujeito

A informação contida no predicado não se refere a sujeito algum. Ocorre oração sem sujeito quando temos um verbo impessoal. O verbo é impessoal quando:

  • Indica fenômenos da natureza (chover, nevar, amanhecer, etc.). Ex.: Anoiteceu muito cedo. Choveu muito no Rio de Janeiro este mês.
  • Fazer, ser, estar indicarem tempo cronológico. Ex.: Faz meses que ele não aparece. Já é uma hora da tarde. Está quente em São Paulo.
  • Haver tiver sentido de existir. Ex.: Havia mulheres na sala. Observação: Os verbos impessoais sempre ficarão na 3a pessoa do singular (havia, faz…)

Observação: Os verbos impessoais sempre ficarão na 3a pessoa do singular (havia, faz…)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Português
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments